@tocomfomemae

9 de dezembro de 2018

Panetone Salgado

dezembro 09, 2018 0 Comentários



Há algum tempo atrás o site vendia kits de culinária para crianças e o panetone salgado era um dos kits. Resolvi hoje fazer a receita, só que, ao invés de usar a original com linguiça calabresa, queijo provolone e azeitonas, usei hoje somente as azeitonas e queijo gorgonzola. Essa é uma receita bem versátil para usar com vários tipos de recheio.

Nessa receita usamos:
* para a massa:
- 2 colheres (sopa) de açúcar refinado
- 1/2 envelope de fermento biológico seco (5g)
- 1 ovo
- 1 colher (chá) de sal refinado
- 1/2 xícara (chá) de leite morno
- 1/4 xícara (chá) de queijo parmesão ralado
- 2 colheres (sopa) de óleo de milho
- 1/2 colher (chá) de essência de panetone
- 2 xícaras (chá) de farinha de trigo

* para o recheio:
- 1/4 xícara (chá) de azeitonas verdes sem caroço
- 1/4 xícara (chá) de queijo gorgonzola amassado
- 1 colher (chá) de orégano

1-Bata no liquidificador todos os ingredientes da massa, com exceção da farinha
2- Transfira a massa para uma tigela e adicione a farinha. Misture bem até ficar uma massa lisa
3- Cubra com um pano de prato limpo e deixe fermentar por 30 minutos
4- Adicione todos os ingredientes do recheio à massa e misture bem
5- Despeje a massa nas formas até preencher 2/3, deixando um espaço para que cresça
6- Deixe descansar por 20 minutos
7- Transfira as formas para a assadeira e leve ao forno pré-aquecido a 180ºC por 20 minutos ou até que  o panetone cresça e fique levemente dourado


4 de dezembro de 2018

Bao - Pão no Vapor

dezembro 04, 2018 0 Comentários



Há muito tempo eu queria fazer essa receita de bao (pãezinhos no vapor). Assim como qualquer receita de pão, é preciso deixar a massa fermentando para que o resultado seja uma massa leve e fofa. Encontrei então esse vídeo da Marion's Kitchen e segui a receita a risca para que o resultado fosse o mais parecido possível. Fiz uma tradução livre da receita e coloquei embaixo. A ideia de servir essa refeição é de que cada pessoa monte seu pãozinho com os recheios que preferir. Servi então vários potinhos com sunomomo de pepino e cenoura, picles de cebola, kimchi (acelga fermentada apimentada), barriga de porco assada, tofu defumado, picles de rabanete, shimeji e molho hoisin (a base de batata doce).


Nessa receita usamos:
- 2 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo
- 1/4 xícara (chá) de leite em pó
- 1/2 colher (sopa) de fermento químico em pó
- 1/2 colher (sopa) ou meio pacote de fermento biológico em pó
- 1/4 xícara (chá) de açúcar refinado
- 2 colheres (sopa) de óleo
- 1 xícara (chá) de água morna

1- Em uma tigela, misture a farinha, o leite em pó, os dois fermentos e o açúcar
2- Em um copo, junte a água e o óleo e adicione na mistura dos secos
3- Mexa com uma colher e depois use as mãos para incorporar todos os ingredientes
4- Transfira para uma superfície lisa e sove por 5 minutos ou até que a massa não grude mais nas mãos. Se necessário, adicione um pouco mais de farinha
5- Volte a massa para a tigela, cubra com um pano limpo e deixe crescer por aproximadamente 1h30 ou até que dobre de volume
6- Após esse tempo, retire todo o ar da massa, dando leves amassadas e sove bem até que retire todas as bolhas de ar. Adicione farinha na superfície e abra a massa com 1 cm de espessura
7- Passe óleo por toda a extensão da massa e use um cortador de 8 cm de diâmetro para fazer os discos de pão
8- Dobre os discos ao meio e passe o rolo suavemente por cima. Transfira cada disco de massa para um quadrado de papel manteiga de 10 x 10 cm, cubra novamente com o pano e deixe descansar por mais 30 minutos
9- Leve para cozinhar em uma panela de vapor tampada por 12 minutos e reserve até o momento de servir. Quando for cozinhar os pães, retire o papel manteiga para que não grude
10- Recheie os pães com os diferentes acompanhamentos

Dica: a água no preparo do pão não pode estar fervendo, pois pode matar o fermento. Ela deve estar morna








20 de novembro de 2018

Mãe Viaja - Curitiba (Salgados)

novembro 20, 2018 0 Comentários

Curitiba é a capital do Paraná, ao Sul do Brasil, e uma cidade cheia de história e também de comidinhas muito tradicionais. Tem vários bairros que estão cheios de restaurantes e bares e com um ótimo custo x beneficio. Coloquei aqui algumas as comidinhas salgadas que comi em Curitiba e a indicação de onde comê-las. A parte doce virá ainda nessa semana!

  • Carne de Onça
O nome desse prato pode assustar e muita gente já me perguntou se era de onça de verdade, mas esse patrimônio de Curitiba é feito com carne moída magra temperada com cebola, páprica, azeite, sal, pimenta do reino e servida sobre uma broa e coberta com cebolinha picada. Fica muito bem acompanhada de mostarda escura.

Carne de onça muito bem servida e com muita cebolinha no Paraguassu Grelhados

Carne de onça no Bar do Alemão com batata frita e salada agridoce

  • Pierogi
Os colonizadores poloneses chegaram no Paraná por volta de 1871 e trouxeram várias influências e tradições culinárias. Uma delas é o maravilhoso Pierogi do Tadeu, aos domingos na Feirinha do Largo da Ordem. Trata-se de uma massa polonesa bem macia, recheada de ricota e batata e coberta com molho de calabresa ou de cogumelos. O Pierogi do Tadeu existe desde 1989 e fica em outras feiras durante a semana.


  • Kurtos Kalacs
Há muito tempo eu sigo o Kurtos Kalacs e sempre tive vontade de experimentar esse pão doce de origem tcheca bem macio e com casquinha de açúcar e canela. Atualmente os kurtos já evoluíram e os recheios e coberturas são diversos, tanto doces como salgados. Escolhi um salgado com casquinha de queijo e lemon pepper e à parte cream cheese. A massa realmente é muito macia e derrete na boca. O mais legal é que esse espaço fica no Curitiba Sunset, com uma bela vista para o Museu do Olho.


  • Empada
A empada do Caruso é um clássico em Curitiba e não pode ser deixada de lado. A massa é folhada ao invés da massa podre, muito crocante e desmancha na boca. Há mais de 60 anos é feita a mesma receita e tem uma placa bem grande dizendo que é utilizada azeitona com caroço no recheio.


  • Pizzaria Itália
Se existe algo que você deve fazer pelo menos uma vez na vida é pedir uma fatia de pizza de muçarela na Pizzaria Itália com uma vitamina mista no balcão. A massa da pizza é bem alta, base crocante, com camada generosa de queijo e orégano. A vitamina é feita com morango, mamão, abacate, sorvete, leite e açúcar.


  • Bolinho de carne
O bolinho de carne é algo tão tradicional em Curitiba que existe até um festival pela cidade para eleger os melhores. Os bolinhos tem o recheio suculento no meio e a casquinha crocante. Os meus favoritos são sem dúvida o do Barbaran (muito servido num pão francês e com maionese) e do Torto Bar (muito macio e também preparado na versão vegetariana com proteína de soja).

  • Coxinha da Dois Corações
Coxinha para mim é algo bem paulistano, mas me surpreendi muito com a coxinha da Dois Corações. O local é uma lanchonete e confeitaria com uma grande estufa com vários salgados, dentre eles a coxinha com recheio de frango com catupiry. Ela é grande, bem recheada e com a massa bem crocante.






28 de outubro de 2018

Batatas Douradas

outubro 28, 2018 0 Comentários


Esse é um daqueles acompanhamentos clássicos e que sempre salvam na hora de ter uma receita prática e saborosa na mão. O tempero utilizado nas batatas pode ser o de sua escolha, mas adoro combinar os sabores da páprica picante e um pouco de pimenta calabresa.

Nessa receita usei:
- 1 pacote de batata bolinha (cerca de 1kg)
- 1 colher (chá) de páprica picante
- 1/2 colher (chá) de pimenta calabresa em flocos
- 2 colheres (sopa) de manteiga
- 1 colher (sopa) de azeite
- sal a gosto

1- Em uma panela grande, coloque as batatas e preencha com água
2- Cozinhe até que estejam macias, mas sem desmanchar (espete com um garfo ou faca e se entrar facilmente e sair limpo, está no ponto)
3- Transfira as batatas para uma assadeira untada com o azeite, tempere com a páprica, a pimenta e o sal a gosto. Misture bem até que todo o tempero esteja nas batatas
4- Adicione a manteiga cortada em quadrados e leve ao forno a 200ºC por 20 minutos, mexendo bem na metade do tempo até que doure dos dois lados

Peixinho da Horta Frito

outubro 28, 2018 0 Comentários


O peixinho da horta é uma PANC (planta alimentícia não-convencional) e a maior parte das receitas é com ele frito. Já fiz aqui a receita de tempurá, mas hoje resolvi fazer o empanamento completo primeiro na farinha de trigo temperada com sal e pimenta, depois no ovo e por último na farinha panko (aquela oriental e mais grossa que a farinha de rosca comum). Depois é só fritar dos dois lados no óleo quente. Fica bem crocante e lembra levemente o sabor de peixe. Servi com maionese misturada com um pouco de mostarda.




5 de setembro de 2018

Mac and Cheese com Abóbora Cabotiá

setembro 05, 2018 0 Comentários


Imaginem isso: um maravilhoso mac and cheese (macarrão com queijo) com purê de abóbora no creme de queijos! A receita foi mais uma invenção já que eu tinha uma abóbora cabotiá e o frio ajudou muito a pensar nessa receita! Para o molho de queijo, escolha o queijo que tenha em casa, mas preferencialmente um que derreta bem!

Nessa receita usamos:
- 1/2 abóbora cabotiá
- 1 colher (sopa) de manteiga
- 1 colher (sopa) de farinha de trigo
- 2 xícaras (chá) de leite
- 6 fatias de queijo muçarela
- 300g de macarrão parafuso
- queijo parmesão ralado para polvilhar
- sal a gosto
- pimenta do reino a gosto
- noz moscada a gosto

1- Para essa receita, utilize apenas metade da abóbora cabotiá. Retire as sementes e leve ao forno até estar macia - cerca de 45 minutos (o método de assar é melhor, pois assim a abóbora absorve menos água e fica mais seca)
2- Em uma panela, aqueça a manteiga até derreter
3- Adicione a farinha de trigo e misture bem até ficar uma massinha
4- Adicione o leite de uma vez e mexa bem com um fouet para não formar nenhum grumo e obter um creme liso. Cozinhe por cerca de 10 minutos até que esteja um molho cremoso
5- Assim que a abóbora estiver assada, retire a polpa e passe por um espremedor para formar um purê
6- Adicione o purê de abóbora no molho e adicione o queijo muçarela. Mexa bem até formar um creme liso e tempere com sal, pimenta do reino e noz moscada a gosto
7- Cozinhe o macarrão em água salgada de acordo com o tempo da embalagem, escorra a água e misture no molho de queijo com a abóbora
8- Transfira para um refratário, polvilhe o queijo parmesão ralado e leve ao forno a 200ºC por 15 minutos ou até dourar levemente por cima

3 de setembro de 2018

Bolo de Erva Mate

setembro 03, 2018 0 Comentários



Coloquei uma enquete no instagram para as pessoas descobrirem do que esse bolo verde era feito e a maioria disse espinafre ou chá verde. Na verdade ele é feito de erva mate! Para garantir que o bolo não fique amargo, não se esqueça de peneirar a erva mate.

Nessa receita usamos:
- 4 ovos
- 1/2 xícara (chá) de azeite
- 1 1/2 xícara (chá) de açúcar
- 4 colheres (sopa) de erva mate peneirada
- 2 xícaras (chá) de farinha de trigo
- 1 colher (sopa) de fermento químico em pó
- óleo para untar
- farinha de trigo para polvilhar

1- Bata no liquidificador os ovos, o azeite, o açúcar e a erva mate por uns 5 minutos
2- Adicione a farinha e o fermento químico e bata até misturar bem. Se necessário, passe uma espátula pelas laterais do liquidificador para misturar toda a massa
3- Unte uma assadeira (usei aqui a de furo no meio) com o óleo e polvilhe a farinha de trigo
4- Transfira a massa para a forma e leve ao forno pré-aquecido a 180ºC por 30 minutos ou até que esteja assado ao fazer o teste do palito